segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Ítaca


Ele tivera cadillac, já fora
rico, flanava em táxis... Mas falido,
passou a pegar ônibus e bonde.
Ansioso (por vezo de patrão),
espichava o pescoço e investigava
a avenida, forçando os olhos míopes.
Acendia um cigarro, se apoiava
à árvore ou dava voltas na calçada,
como o mítico Ulisses em seu barco
faria, no oceano em calmaria.
Quando o bonde lotado enfim chegava,
mantendo o olhar amargo, ele sorria,
pois sem mulher, dinheiro nem amigos
subir no estribo era aportar em Ítaca.

Nenhum comentário: