terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Soneto cinza, mas branco


Não creia no mesquinho julgamento

dos homens ou seus tolos tribunais
nem reze a nebulosas e improváveis
lendas em majestosos paraísos.
A despeito de todos vereditos
te condenando a mais injusta pena,
só no correr do Tempo há a sentença

que te absolve de forma eterna e justa
sem honorários, petições, recursos...
Portanto, seja apenas paciente,
e espera a nova leva de prazeres

e angústias que na luta por espaço
expulsarão teus atuais demônios;

"A única  Justiça  é o esquecimento".
 

Nenhum comentário: