terça-feira, 26 de novembro de 2013

J. R. Marino (1951 - > 2013)


Morrerei ! Não por culpa da desgraça:
os raios não tiveram pontaria
e às turbinas faltaram avarias;
nem a bala perdida, por pirraça
ou por preguiça, achou minha cabeça;
tampouco a cirurgia corriqueira
encrencou por um erro de enfermeira;
nem na serra a neblina estava espessa,
ou do bujão vazava oculto o gás.
Agora, já não resta mais um prazo
ao azar, e será o fim trivial.
Faça a conta e concorde, se és sagaz,
com a resposta certa p'ra o meu caso:
"Morreu porque era velho!". Assim; banal.

Nenhum comentário: