sábado, 18 de maio de 2013

62 a 62


Desde o teu enterro, trinta anos voaram...

E hoje empatamos: sessenta e dois anos.
Só então aprendo que era ainda cedo.

De agora em diante, toda manhã e toda noite,
viverei em mel, medo e culpa
o mesmo tanto que a Hora Injusta

te arrancou de auroras e crepúsculos.

(São Paulo, 7 de março de 2013.)