sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Armação dos Búzios


Gaivotas, vento, barcos
e nós,
isentos do arbítrio do tempo,

éramos notas no lento prelúdio

da manhã sem máscaras ao redor ...

Nossas bocas e desejos 
assíduos 
relaxavam, distraídos,

sem que beijos,
carícias de pele ou sexo
fossem atos necessários:
 

a praia plena de luz matinal,
o chiado longo das ondas lançando na areia o sal

e os relevos indiscretos
do seu corpo
azulando o celeste contorno

derramavam prazer, deleite
e amor
em todo o universo.

Nenhum comentário: