segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pirita


É vã
a emoção do poeta que considera
ter concluído um poema bom,

pois igual à banana que apodrece
logo após sua doçura máxima,
também seu cacho de palavras,
de maduro, estraga rápido
e caminha à podridão.

E o autor, que do seu verso teve
efêmeros orgulho e apreço, 
retorna operário
à obra imperfeita.

Nenhum comentário: