segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Perdão


Sempre ao teu lado
em meu peito nasce
uma rosa improvável

(cujo perfume, forma e cor
se perdem e se consomem
no meu desajeito de homem).

2 comentários:

J.G. disse...

Venho aqui, muitas vezes, ler a sua poesia. Este pequeno (será pequeno?) é muito belo.
Desejo-lhe um Bom Natal e que 2011 seja propício para a realização das suas aspirações.
Abraço
Júlia

Rosangela disse...

Impecável...
Parabéns!