segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Perdão


Sempre ao teu lado
em meu peito nasce
uma rosa improvável

(cujo perfume, forma e cor
se perdem e se consomem
no meu desajeito de homem).