sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Quando transbordo
de emoção,
me recolho à poesia,

e derramo no poema
a dor e a alegria
que vazam do coração.

3 comentários:

nydia bonetti disse...

poesia pura. poema que extravasa. lindo... bjos.

Lara Amaral disse...

Uma solução e tanto para recolher o que expande de dentro.

Beijo.

Gerana Damulakis disse...

Leio a poesia de JRM, com alegria.