quinta-feira, 25 de março de 2010

Bezerra


Sofisticando o ritmo
com a língua em arabescos, 
ela ao leito 
do meu gozo fez  
alimento,

pois como anti-esfinge
fartou-se 
do acrileite absinto.

2 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Pois, como gosto de ler em voz alta e os seus poemas ficam maravilhosos, li este também: gostei muitíssimo.

João Renato disse...

Obrigado, Gerana.
Sabes que passei a lê-los em voz alta também ? E é uma sensação estranha dar voz à coisa escrita.
Abraço,
JR