terça-feira, 16 de março de 2010

Ela e o Poema


O que tens agora aqui, eventual leitor,
não mais é toda a poesia,
porque desta, a melhor parte
em mim permaneceu ou tornou-se desejo,
se antecipando à linguagem.

O que lês aqui é um saco
cheio só com a sobra da minha emoção
ao vê-la nua deitada,

porque o fascínio original guardei comigo,
à parte, antes destas frases.

Livre, agora ele respira,
livre deste poema.

2 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Sinceramente, adorei o poema. Li em voz alta, fica incrível! Parabéns!

João Renato disse...

Obrigado, Gerana.
Eu o li em voz alta, agora, e foi uma sensação estranha.
Abraço,
JR.