quinta-feira, 25 de março de 2010

Bezerra


Sofisticando o ritmo
com a língua em arabescos, 
ela ao leito 
do meu gozo fez  
alimento,

pois como anti-esfinge
fartou-se 
do acrileite absinto.

terça-feira, 16 de março de 2010

Ela e o Poema


O que tens agora aqui, eventual leitor,
não mais é toda a poesia,
porque desta, a melhor parte
em mim permaneceu ou tornou-se desejo,
se antecipando à linguagem.

O que lês aqui é um saco
cheio só com a sobra da minha emoção
ao vê-la nua deitada,

porque o fascínio original guardei comigo,
à parte, antes destas frases.

Livre, agora ele respira,
livre deste poema.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Navegação


E porque em ambos não havia
só a compulsão do gozo,
mesmo os dias negros e frios
se coloriam do azul de certeiras
tardes marinhas,

então o sol - que só a nós pertencia -
deu ao astrolábio
o caminho no oceano
que o nosso barco merecia, 
longe dos penhascos.