quinta-feira, 21 de maio de 2009

Progresso


Nem caneta nem papel;
Para angústias antigas,
micros moderníssimos !

2 comentários:

Victor Colonna disse...

Olá João,
Parabéns pelo blog!
Vi teu comentário no blog do Antônio Cícero e cheguei aqui. Tenho um blog de poemas e crônicas. Se puder dê uma passada por lá. Abraços! Seguem aí dois poemas!

SUJEITO OCULTO (Victor Colonna)


O problema são as conjunções desconjuntadas
As interjeições rejeitadas
Os adjetivos desajeitados
Os substantivos sem substância
As relações de deselegância entre as palavras.

É preciso superar o superlativo:
O absoluto sintético
E o analítico.
Achar o verso
Entre o verbo epilético
E o pronome sifilítico.

Falta definir o artigo inoxidável
O numeral incontável, impagável.

Resta procurar o objeto direto
Situar o particípio passado
E o pretérito mais-que-perfeito

Desvendar a rima
Desnudar a palavra
Encontrar o predicado
E revelar o sujeito.


CURTO-CIRCUITO (Victor Colonna)


De repente eu paro e olho: é ele!
E desengato marcha-a-ré cerscente
Meu rosto fica roxo, vermelho
E desamarra-se o elo da corrente.

Curto-circuito, incêndio, tragédia!
E meu cabelo arrepiado espeta
E meu pulso desencapado te choca
E meu corpo endiabrado, capeta.

E meu peito pega fogo: vida
Um calor que se desprende e solta
Amor é caminho longo: é ida
É só ida. Não tem volta.

Luciana! disse...

gostei desse!

Também é o nome do meu blog

www.nemcanetanempapel.blogspot.com

abraços!